quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

MENSAGEM AOS GRUPOS PARLAMENTARES E DEPUTADOS

Colegas,

Amanhã, dia 8, 5ª feira, vai ser discutido e votado o projecto de diploma, apresentado pelo PSD, que poderá pôr fim a toda esta "avaliação-da-treta". No entanto, correm rumores de que há já alguns deputados (do PS) e o grupo parlamentar do PCP que dizem "não votar favoravelmente ao PSD"!

Temos de lhes dizer que ACABEM DE UMA VEZ COM AS GUERRILHAS PARTIDÁRIAS! Temos de os relembrar que o que está em causa é o futuro profissional de 150.000 Professores e a qualidade da Escola Pública!

TODOS TÊM DE VOTAR FAVORAVELMENTE ESTE DIPLOMA: OS GRUPOS PARLAMENTARES do PSD, do PCP, do CDS/PP, do BLOCO DE ESQUERDA e, TAMBÉM, os 6 DEPUTADOS DO PS que, no mês passado, votaram favoravelmente a recomendação do CDS/PP para a suspensão deste modelo de avaliação.

Está também nas nossas mãos relembrar-lhes que têm responsabilidades neste processo e que NÓS estamos ATENTOS!
Vamos enviar e-mails para os diferentes grupos parlamentares relembrar-lhes:

«Caros Deputados,
No próximo dia 8 de Janeiro, vão ter a possibilidade de fazer justiça, votando favoravelmente a proposta apresentada pelo grupo parlamentar do PSD! Vão ter 150.000 Professores a olhar, atentamente, para cada um de vós. Queremos ser avaliados, mas não por este modelo "remendado" e pedagogicamente duvidoso. PEDIMOS UMA ÚLTIMA VEZ: FAÇAM JUSTIÇA - VOTEM FAVORAVELMENTE E SUSPENDAM ESTE MODELO DE AVALIAÇÃO DO ME! Façam tréguas nas "guerras" partidárias!»
................................................, Professor(a)


Há duas formas de lhes fazer chegar esta mensagem:

. Clicando no sítio http://www.parlamento.pt/Paginas/Contactos.aspx#gp e fazer um "copy/paste" do texto vermelho, para cada grupo parlamentar e para cada um dos deputados da oposição e os seis do PS... e enviar o mais depressa possível!

. Copiar o texto a vermelho e enviar para os seguintes e-mails:

apb@pcp.parlamento.pt;
blocoar@ar.parlamento.pt;
carlos-lopes@psd.parlamento.pt;
carlos-lopes@psd.parlamento.pt;
claudia@ps.parlamento.pt;
cp@psd.parlamento.pt;
davidmartins@ps.parlamento.pt;
dpacheco@psd.parlamento.pt;
emidioguerreiro@psd.parlamento.pt;
esmeralda-ramires@ps.parlamento.pt;
f.negrao@psd.parlamento.pt;
fbduarte@psd.parlamento.pt;
fernandoantunes@psd.parlamento.pt;
fernandocabral@ps.parlamento.pt;
fernandojesus@ps.parlamento.pt;
fernandosantospereira@ar.parlamento.pt;
francisco.louca@be.parlamento.pt;
gabpar@ar.parlamento.pt;
ginestal@ps.parlamento.pt;
gp_pcp@pcp.parlamento.pt;
gp_pp@pp.parlamento.pt;
gp_ps@ps.parlamento.pt;
gp_psd@psd.parlamento.pt;
gsilva@psd.parlamento.pt;
helena.pinto@be.parlamento.pt;
isabelcoutinho@ps.parlamento.pt;
isabelvigia@ps.parlamento.pt;
jacarvalho@ps.parlamento.pt;
jalmeida@ps.parlamento.pt;
joaohorta@psd.parlamento.pt;
josejunqueiro@ps.parlamento.pt;
joselello@ps.parlamento.pt;
jpereira@psd.parlamento.pt;
jseguro@ps.parlamento.pt;
jstrecht@ps.parlamento.pt;
m.pignatelli@psd.parlamento.pt;
marisa.costa@ps.parlamento.pt;
maximiano@ps.parlamento.pt;
mdavid@psd.parlamento.pt;
melchior@psd.parlamento.pt;
mfrasquilho@psd.parlamento.pt;
miguelmacedo@psd.parlamento.pt;
mjgamboa@ps.parlamento.pt;
mjunior@ps.parlamento.pt;
mmachado@psd.parlamento.pt;
motaandrade@ps.parlamento.pt;
mpantao@psd.parlamento.pt;
mrelvas@psd.parlamento.pt;
nmagalhaes@pp.parlamento.pt;
osvaldocastro@ps.parlamento.pt;
pedro.pinto@psd.parlamento.pt;
pedromotasoares@pp.parlamento.pt;
pedroquartin@psd.parlamento.pt;
pev.correio@pev.parlamento.pt;
pndeus@ps.parlamento.pt;
ppc@psd.parlamento.pt;
raguas@psd.parlamento.pt;
ramospreto@ps.parlamento.pt;
rgoncalves@ps.parlamento.pt;
rmartins@psd.parlamento.pt;
rosalina@ps.parlamento.pt;
sfertuzinhos@ps.parlamento.pt;
svieira@psd.parlamento.pt;
tcaeiro@pp.parlamento.pt;
tvenda@ps.parlamento.pt;
vcosta@psd.parlamento.pt;



ADENDA:

De todos os e-mails enviados, apenas obtivemos as resposta de dois deputados do Bloco de Esquerda (Francisco Louçã, em nome do Grupo Parlamentar, e Helena Pinto), de um deputado do CDS/PP, Paulo Portas, em nome do respectivo Grupo Parlamentar, e de um deputado do PCP, Miguel Tiago, em nome do Grupo Parlamentar do PCP.

Aqui se reproduzem. Para que conste!


Em nome do Grupo Parlamentar do Partido Comunista Português, agradeço o seu contacto e a mensagem que nos enviou.

O processo de avaliação imposto pelo Ministério da Educação e pelo Governo do Partido Socialista tem-se demonstrado absolutamente impraticável e, mais grave do que isso, lesivo dos interesses dos professores, dos estudantes, da Escola Pública e da população em geral. Radicando num Estatuto da Carreira Docente que aplica princípios de hierarquização e clivagem na carreira e que impõe constrangimentos administrativos à progressão nas carreiras, diminuindo e atacando os direitos desta camada profissional. Com esta política, o Governo já demonstrou a sua insensibilidade perante as movimentações e apelos lançados pelos professores que têm exigido respeito, não só pela sua profissão e desempenho, mas também pela Escola Pública.

E é, de facto, a natureza da Escola Pública o que está em causa. O Governo preconiza uma escola pública diminuída, reduzida a uma agência de formação profissional, distante do objectivo da formação da cultura integral do indivíduo e, para tal, carece de transformar professores em meros agentes formativos, dóceis e obedientes, e estudantes em peças e produtos numa qualquer linha de montagem.

A Escola, como espaço de vivência e aprendizagem, de consolidação do raciocínio crítico, de formação de cidadãos e cidadãs inteiros, activos e intervenientes, deixa de existir para dar lugar a um espaço meramente formativo, onde se oferecem formações de banda estreita, prometendo empregabilidade e redundando, no entanto, numa empregabilidade de prazos imediatos, sem direitos, sem garantias, mal-paga e pouco qualificada.

O PCP apresentou na Assembleia da República mais de sessenta propostas de alteração ao Estatuto da Carreira Docente, foi o primeiro partido a apresentar uma iniciativa para a suspensão do processo de avaliação – logo em Fevereiro, e tornou a fazê-lo em Outubro, vendo sempre rejeitadas pela maioria absoluta do Partido Socialista as suas propostas.

O PCP não apresentou, ao contrário do que fez a generalidade dos outros partidos da oposição, um Projecto de Lei para a suspensão da avaliação, por julgar que esta discussão de dia oito, mais não é senão a tentativa do PSD de limpar a sua própria imagem, depois de ter falhado redondamente na discussão dos outros projectos em Outubro. As faltas do PSD no plenário não foram, no entanto, determinantes para o desfecho daquela sessão e, como tal, este agendamento é apenas uma segunda volta sem nenhum outro objectivo que não o de tentar emendar a mão da irresponsabilidade que o PSD manifestou naquela sessão. O PCP votará, no entanto, a favor do Projecto do PSD para a suspensão, muito embora, ele seja apenas um fogacho sem efeitos. No entanto, mantendo a coerência que nos caracteriza enquanto partido, o PCP continuará a defender a suspensão do processo, apoiando a iniciativa do PSD.

Aproveito para saudar a vossa luta e perseverança e o vosso empenho em defesa dos vossos direitos e da escola pública.

Com os meus melhores cumprimentos,

Miguel Tiago, Deputado do PCP

___________________________________________________________________________________

http://cdsnoparlamento.pp.parlamento.pt/

Caro Professor Ilídio Trindade,

Como penso que sabe, o CDS apresentou um Projecto de Resolução que previa a suspensão do actual modelo e que apontava caminhos para um modelo transitório para o presente ano lectivo. Foi votado no passado dia 5 de Dezembro e esteve quase a ser aprovado. Infelizmente, tal não aconteceu e perdeu-se uma oportunidade de sair deste impasse e ultrapassar a teimosia e arrogância do Ministério da Educação nesta matéria.

Neste âmbito, e uma vez que houve abertura para a visão do CDS-PP sobre esta injustiça, apresentamos já um Projecto de Lei, que será discutido no próximo dia 23 de Janeiro, que consagra a revogação dos presentes decretos regulamentares e onde apresentamos uma avaliação transitória para o presente ano lectivo, que vai de acordo às exigências dos professores, mas também às necessidades das escolas no desenvolvimento normal das suas actividades. Este projecto, se mantiver o acolhimento que a proposta inicial do CDS teve, pode ser a solução definitiva para a questão da avaliação dos professores.

Até lá, viabilizaremos todas as iniciativas que ajudem a resolver, ainda que só parcialmente, esta questão.

Atentamente

Paulo Portas

___________________________________________________________________________________


Como sabe, o Bloco de Esquerda vota a favor da suspensão – nenhum dos nossos deputados faltou à votação, ao contrário do que aconteceu no PSD.

Por isso, seremos coerentes com a nossa votação, e apresentamos um projecto de lei nesse sentido, que também será votado amanhã (o PSD vota contra, num acto de mesquinhez partidária que é lamentável).

Os cumprimentos de

Francisco Louçã
http://www.esquerda.net/

___________________________________________________________________________________

Caro Senhor,

Votarei favoravelmente a suspensão do modelo de avaliação imposto pelo Ministério. O Bloco de Esquerda tem acompanhado a luta das professoras e professores e apresentado propostas concretas na Assembleia da República, como acontece amanhã.

Contem com o nosso apoio e força na vossa luta.

Helena Pinto
Deputada do Bloco de Esquerda

8 comentários:

angelis disse...

Já fiz a minha parte e enviei o email, tal como sugeriu.
No meu agrupamento só existe 1 jardim de infância e somos só 2 educadoras e eu sinto-me isolada, "perdida" e sem apoio, por isso, tento fazer a minha parte o melhor que sei e posso, mas sinto que luto e remo contra a maré e não sei o que fazer mais.

alebana disse...

Caro Ilídio

Acabei agora mesmo de enviar 67 mails... ufa!
Dos 67 mails enviados, apenas 5 não chegaram ao destino:
joaohorta@psd.parlamento.pt
joselello@ps.parlamento.pt
marisa.costa@ps.parlamento.pt
mjunior@ps.parlamento.pt
rosalina@ps.parlamento.pt

"This is an automatically generated Delivery Status Notification. Delivery to the following recipients failed."

Este era o texto que vinha nos mais devolvidos!

Estou cansada mas contente por, mais uma vez, ter lutado por NÓS - PROFESSORES.

Anónimo disse...

já fiz.

recebi cinco devoluções...

m.i.a.

fongsoi disse...

segundo li na imprensa o ps tem na sua bancada 40 professores!?...
e a esses não enviamos nada?

alebana disse...

# m.i.a.

Também recebeu respostas do Bloco de Esquerda? Eu recebi já 3 respostas... Pelos menos dignaram-se a responder-me.
E mais nada... por agora.

alebana disse...

ok. Já percebi que todos os que enviaram os mails estão a receber as mesmas respostas que eu.
Ainda bem.
Inté!

Anónimo disse...

resposta a alebana

apenas recebi uma resposta da deputada Helena do BE, igual à que já se encontra publicada neste post.

confesso que fiquei agradavelmente surpreendida... :)

m.i.a.

Anónimo disse...

ANULE-SE O CONCURSO DE PROF TITRULARES , PARA COMEÇAR, depois de justamente apurar os titulares mais qualificados, então AVALIE-SE!!!

Desde 01-01-2009


Este blog vale $140.000.00
Quanto vale o seu blog?

eXTReMe Tracker

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa
Twingly BlogRank
PageRank
Directory of Education Blogs

RSSMicro FeedRank Results
Add to Technorati Favorites
Locations of visitors to this page