quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

A SINA DA DREN

A propósito das pressões e ameaças da DREN por causa da não realização do "Carnaval Escolar" em Paredes de Coura (vide O CARNAVAL PERMANENTE DA DREN), eis o testemunho que nos chegou de alguém que viveu o drama.


"Olá Ilídio,
Com certeza, já sabe do "Carnaval" que se passa em Paredes de Coura...
Mais uma deste nosso Ministério.
Além de ameaças, o Conselho Executivo recebeu ORDEM da DREN para que o desfile de Carnaval aconteça!!
Tudo isto começou porque decidimos suspender algumas das actividades do nosso Plano Anual de Actividades (temos 160 previstas para este ano!). Além do Carnaval, foram suspensas visitas de estudo que ainda não estivessem agendadas e as idas à praia com os meninos do pré-escolar.
Esta decisão foi tomada pelo Conselho Pedagógico: 15 membros = 14 votos a favor da suspensão, 1 voto contra.
A Associação de Pais escreve, de imediato, uma carta aberta aos professores a por em causa a nossa decisão e a informar que iria tomar medidas no sentido de se realizar o desfile.
Além da carta aberta, informou (erradamente) os meios de comunicação social, acusando os professores de usar os alunos como "arma de arremesso" na guerra contra o Ministério.
A Associação de Pais pouco ou nada fez, até hoje, por este agrupamento. Aliás, a única manifestação que tiveram foi esta. Não se preocupam com outros problemas bem mais graves na escola (alunos com muitas necessidades económicas; famílias precárias; violência doméstica; alunos com NEE sem pessoal especializado, etc.), mas o desfile de Carnaval, esse, sim, é de suma importância pedagógica e, quiçá, científica.
A partir daí foi o descalabro: telefonemas da DREN, do CAE de Viana do CAstelo, pode imaginar.
Proibiram a Presidente do CE de falar à comunicação e enviaram fax a obrigá-la a obrigar os professores a fazerem o desfile.
Hoje estiveram em reunião (urgente, segundo a DREN) o CE com três senhores da DREN e dois do CAE, numa tentativa de "convencer" o CE para que se realizasse o desfile.
Depois dessa reunião, que começou às 14.30 e terminou às 19:00, tivemos reunião geral.
E pode imaginar o resultado: face às ameaças feitas à Pres CE (demissão), os professores vão mesmo fazer o desfile.
Nota: este desfile é para o 1º ciclo e pré-escolar.
Escusado será dizer que sou professora deste agrupamento, por isso, se quiser informação mais consistente, não hesite em contactar."

10 comentários:

Anónimo disse...

Mais um caso importante que mostra como este ministério está empenhado em promover o ensino público. Sem certeza do dia, soube ontem que a Escola Básica Integrada
Marinhas do Sal, Rio Maior, foi visitada por uma inspecção. Soube que foram escolhidos alguns alunos para serem interrogados pelos referidos inspectores e as perguntas incidiram sobre o guarda roupa das professoras, as maquilhagens das professoras, a provocação ou não das professoras (nem me atrevo a pensar como é que este assunto foi abordado perante as crianças!), enfim, tudo relacionado com o bom desempenho pedagógico e científico da professora. Fica aqui o alerta e a graça: ainda vão instituir um uniforme!

Anónimo disse...

Haja coragem de todos os elementos da Associação de Pais da escola em questão (Paredes de Coura) em se mascararem e participarem também no desfile.
Já basta de palhaçadas; assumem-se e participem!!!

Anónimo disse...

Isto realmente é uma vergonha! Mas a atitude desta escola foi de muita coragem e deveria ser seguida por muitas outras deste país! Mas queria deixar um alerta: quando se decide fazer uma coisa destas, ela deve ser muito bem pensada, auscultando todos os professores envolvidos, para definir até onde estão dispostos a ir. Caso contrário, acontece, como aqui, uma cedência à vontade da DREN. Não tira o mérito do modo de luta, mas de qualquer forma, os professores e a escola deveria ir até ao fim e não fazer o desfile!

Anónimo disse...

Pois é....a intenção da escola foi boa. Mas a Presidente do Executivo deveria ter já pensado,a julgar pelo que este ministério tem feito aos professores, que a DREN não a ia deixar em paz. Por isso mesmo deveria ter ponderado todas as hipoteses e só cancelar o carnaval se estivesse disposta a correr todos os riscos. Assim, teve que ceder, o que não augura nada de bom!

Anónimo disse...

Este casos deveriam sair para a Comunicação Social....o Mundo Escolar precisa de saber, que lentamente a ditadura está presente.

Ni disse...

Com ou sem desfile, deixo aqui os meus parabéns ao corpo docente deste agrupamento. A Presidente do Conselho Executivo mostrou ter coragem assumindo, numa primeira fase, a não realização da actividade; os restantes docentes estiveram bem solidarizando-se com a PCE. Resta uma pergunta: se a PCE foi mesmo ameaçada de demissão, por que não denunciar essa situação publicamente? Vamos continuar a aceitar a situação de escravos? "Ou fazes como eu quero ou vais para o tronco"? Parabéns, colegas de Paredes de Coura. Infelizmente tiveram de voltar atrás por vergonhosas pressões. Mas imaginemos que no dia do desfile, por azar (que os há!), todos os docentes do agrupamento estavam doentes? Eram os pais dos meninos que iam fazer o desfile? Pelo que tinha já lido na comunicação social, a decisão da não realização do desfile foi bem ponderada ( e enm outra coisa seria de esperar, os professores são gente competente), e devidamente fundamentada: excesso de trabalho. Este excesso pode implicar um cansaço tal que põe em causa as capacidades físicas dos professores para acompanharem os alunos, garantindo as necessárias condições de segurança. Perante esta justificação, a DREN insiste na realização do desfile?? Onde é que este país vai parar? Garanto-vos, colegas, se houvesse um desfile de Carnaval no meu agrupamento e eu tivesse de acompanhar os alunos, neste momento não o poderia fazer porque estou ESGOTADA! E ninguém vê isto?

Anónimo disse...

Este país está a saque. Há uma cambada nojenta de corruptos e fascistas a enxamear as cúpulas dirigentes na política, na alta finança, na educação.
É hora de alguém com coragem começar a "atirar a matar"!
Os professores estão a ser sacrificados e diabolizados de uma forma absurda e vergonhosa. A luta tem de continuar e cada vez mais dura. E os pais têm de perceber, de uma vez por todas, que o inimigo é o governo e não os professores!

Anónimo disse...

Isto já só vai à cacetada e pedrada! Isto mais tarde ou mais cedo se não mudar vai dar guerra ou uma ETA.

Anónimo disse...

Tão simples como o algodão: convoca-se todos os professores de Paredes de Coura, da escola em causa e de todas as escolas do Concelho, mais todos os professores de todas as escolas dos concelhos em volta mais todos os professores do país que queiram manifestar solidariedade com o Conselho Executivo daquela Escola.
Basta que digam o dia e a hora e o local de concentração para o início do desfile e o Ministério terá lá milhares de professores a desfilar, vindos de todo o país. Se o Paulo concordar, divulguem esta iniciativa e vamos todos aproveitar para ir brincar ao Carnaval a Paredes de Coura.
Fica aqui a minha sugestão.

Filipe

Anónimo disse...

Anónimo das o:55
Filipe:
Concordo plenamente com a sugestão.
Podia ser terça-feira, dia de Carnaval.
Da minha casa somos dois.
Seria muito interessante.
Fátima

Desde 01-01-2009


Este blog vale $140.000.00
Quanto vale o seu blog?

eXTReMe Tracker

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa
Twingly BlogRank
PageRank
Directory of Education Blogs

RSSMicro FeedRank Results
Add to Technorati Favorites
Locations of visitors to this page