segunda-feira, 13 de abril de 2009

NOVO BANCO ALIMENTAR CONTRA A FOME

Bradam ao céu as palavras da ministra, sobretudo porque têm implícita uma visão de escola que muda ao sabor dos interesses propagandísticos. Umas vezes, a visão da escola parece ser a de uma empresa que fabrica sapatos; outras, a de um dormitório; de um "jardim de adolescentes"; de um presídio; de orfanato... Nunca a visão do que deveria ser: o local de formação e de ensino-aprendizagem tão necessário a este Portugal transformado em oportunidades para muito poucos.

Parece aceitar-se que a escola é, agora, um banco alimentar contra a fome, a funcionar apenas durante os dias úteis.

Na verdade, começa a perceber-se o despacho do voluntariado.


Crise
Tutela garante que escolas resolvem casos de carência alimentar que identificam

13.04.2009 - 15h08 Lusa

A ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, garantiu hoje que as escolas resolvem todos os casos de carência alimentar que identificam e considerou alarmistas as declarações do director-geral da Saúde sobre os problemas de alimentação de alguns alunos.

"Não temos nenhum caso identificado de carência alimentar que as escolas não resolvam", assegurou Maria de Lurdes Rodrigues, em declarações aos jornalistas, no final de uma visita à Escola Secundária Aurélia de Sousa.

Questionada sobre a sugestão do director-geral da Saúde, Francisco George, de as cantinas escolares abrirem durante as férias para suprir necessidades alimentares de algumas crianças, a ministra criticou o alarmismo gerado em torno do assunto. "Gostava que se baixasse o tom do alarmismo. Confio que as escolas resolvem esses problemas e que fazem muito mais do que é a sua obrigação estrita em matéria de suprimento de necessidades alimentares", afirmou.

A ministra da Educação disse não estar preocupada com esta matéria, sublinhando que as escolas já tratam deste problema há muito tempo. "Há muitos anos que as escolas intervêm nesta área. Têm uma acção muito eficaz e muito interventiva, superando eventuais necessidades de apoio por parte das famílias", observou.

Francisco George avançou que estão previstas "medidas de contingência" para responder aos efeitos da crise económica na saúde dos portugueses. Para prevenir situações de má alimentação nas crianças, sobretudo as que estão em idade escolar, a DGS já contactou o Ministério da Educação para, no caso de ser necessário, as cantinas das escolas estarem abertas mais tempo, incluindo nas férias, "servindo refeições de uma forma equilibrada".

Questionado sobre a existência de crianças com fome devido à crise, Francisco George admitiu que já surgiram casos pontuais, mas "ainda não constituem um problema de dimensão preocupante".

Notícia actualizada às 15h29

In Público.

3 comentários:

Anónimo disse...

A culpa é da crise Mundial...boa desculpa para este Governo desgovernado.

Delfim Peixoto disse...

Não me roubes as palavras que não escrevo
Ou o Pensamento que nelas não penso,
Leva de mim o amor que te devo,
Mas não me deixes assim tão tenso

Solta de mim esta raiva contida
De querer escrever o que sinto,
Não ser alma penada assumida
E falar verdade pois não minto

Deixa soltar este grito contido,
Antes falado ora amordaçado,
E ouve dele o sentido
De Abril ter já vivido

Não me roubes das palavras o sonho
De querer meu país assim cantado,
Nele a esperança eu ponho,
De viver o Futuro, ensolarado.


DelfimPeixoto
http://merlin4.blogspot.com/

Anónimo disse...

Mas que posição mais reaccionária, caramba, tenha vergonha.

Desde 01-01-2009


Este blog vale $140.000.00
Quanto vale o seu blog?

eXTReMe Tracker

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa
Twingly BlogRank
PageRank
Directory of Education Blogs

RSSMicro FeedRank Results
Add to Technorati Favorites
Locations of visitors to this page