segunda-feira, 27 de julho de 2009

POR QUE NÃO SE ASSOCIAM AO MUP?

"Em tempo de guerra não se limpam armas."

O MUP tem apoiado todas as acções de luta, quer da iniciativa dos professores, quer de iniciativa sindical.

Por que não tomam os sindicatos o comando de uma mega-manifestação, no dia 12 de Setembro, conforme foi
aqui anunciado?

Precisamos não só uma manifestação que agite o início do ano lectivo, mas também que contribua para ajudar a derrotar este PS, nas eleições legislativas, de forma a estancar as políticas nefastas e a tornar possível reverter muitas das atrocidades que foram feitas.

Não podemos perder a oportunidade.

Dia 12 de Setembro, com ou sem sindicatos,
UMA GRANDIOSA MANIFESTAÇÃO PARA DERROTAR O PS!



Professores prometem início de ano lectivo agitado

Os professores prometem um início de ano lectivo bastante "conturbado" e marcado por "muita contestação" e trabalho por uma "revisão séria" do Estatuto da Carreira Docente. Essa é pelo menos a intenção da Fenprof depois da reunião de hoje no Ministério da Educação em que as duas partes, uma vez mais, não chegaram a qualquer entendimento.
A promessa está feita pela Fenprof após mais um encontro em que o Estatuto da Carreira Docente foi ponto de discórdia e não de concórdia entre a associação representante dos professores e o Governo.
Enquanto os professores deixam a promessa de um início de ano lectivo muito agitado, o Ministério da Educação critica o que considera ter sido uma posição "lamentável" por parte do sindicato.

"Para nós foi uma não revisão do Estatuto da Carreira Docente, em que nada daquilo que pretendíamos foi acatado pelo Ministério da Educação, tudo nos foi imposto. Não houve da parte do Ministério da Educação qualquer aproximação às nossas propostas", anunciava no final do encontro a dirigente sindical, Anabela Sotaia, depois das partes não terem chegado a acordo.

Face à posição deste Governo, em particular do Ministério da Educação, a sindicalista anunciou desde já a apresentação de uma carta reivindicativa dos professores e educadores a todos os partidos políticos logo no dia 1 de Setembro.

Para a sindicalista o início do ano lectivo "poderá ser conturbado" e mais ainda quando os professores souberem os resultados das colocações, que deverá acontecer no final de Agosto, isto porque são poucos os professores contratados que irão ter colocação no final de Agosto e porque, segundo Anabela Sotaia, "há ainda milhares de professores, nomeadamente dos quadros de zona pedagógica, que não obtiveram no início de Julho lugar de quadro ou de escola de agrupamento".

Ministério lamenta posição da Fenprof

Do lado oposto o Ministério da Educação lamenta a posição "absolutamente lamentável" que apresentou durante o decorrer das negociações com Jorge Pedreira, secretário de Estado Adjunto e da Educação, a referir que a atitude assumida pela Fenprof "demonstra a posição que tem vindo a tomar e que nada tem a ver com a defesa dos interesses dos docentes, mas tem a ver com questões de ordem política".

Para Jorge Pedreira a Fenprof deixou claro que preferia que o Governo não aprovasse as alterações ao Estatuto da Carreira Docente, alterações que a tutela entende que vão beneficiar todos os professores.

"Encurtar a carreira em cinco anos, permitir melhores condições de progressão para os professores que não consigam chegar a professor titular e um novo escalão de topo para que aqueles que estão neste momento no topo da carreira possam progredir. É isto que a Fenprof disse hoje que preferia que o Governo não aprovasse", explicou Jorge Pedreira aos jornalistas.

Os encontros com os representantes dos professores vão prosseguir estando para amanhã marcada uma reunião no Ministério da Educação com a Federação Nacional dos Sindicatos de Professores (FNE).

Para já e para que não restem dúvidas, Jorge Pedreira deixou bem claro que o Estatuto da Carreira Docente avançará para aprovação em Conselho de Ministros mesmo que não haja um acordo com os sindicatos.

In RTP.

7 comentários:

Anónimo disse...

Essa manifestação é fundamental.

Anónimo disse...

Vamos lá começar o ano em grande - a derrotar os cretinos.

Safira disse...

Ilídio, concordo contigo. No entanto acho que os movimentos deviam falar com os sindicatos para não acontecer o mesmo que aconteceu em Novembro de 2008.
Acho essa manifestação fundamental, pois é muito perco das eleições e refrescar memórias nunca fez mal a ninguém

Boas férias. Até Setembro!

Abraço,

Safira

Anónimo disse...

Acho que os movimentos independentes de professores devem ouvir os sindicatos e, para isso, nada melhor que estabelecer canais de comunicação. Porque não solicitam uma reunião aos sindicatos para clarificar o ponto da situação sobre a luta dos professores? Pelo menos ganhariam mais espaço na comunicação social.

Nikita Gomes disse...

Caso tenham conhecimento, acho importante divulgarem a lista das escolas cujos Directores/Presidentes de CE não aceitaram as FAA/não avaliaram os professores, por não terem sido entregues os OI. São números que podem ajudar a sobreviver quem está na luta a 100%.

Eduardo disse...

Vamos à manifestação! Não podemos ficar de braços cruzados e dependentes dos paninhos quentes dos sindicatos.

AB disse...

Concordo que se impõe a realização de uma manifestação no início de Setembro. Com os sindicatos seria o ideal.

Desde 01-01-2009


Este blog vale $140.000.00
Quanto vale o seu blog?

eXTReMe Tracker

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa
Twingly BlogRank
PageRank
Directory of Education Blogs

RSSMicro FeedRank Results
Add to Technorati Favorites
Locations of visitors to this page