quarta-feira, 26 de agosto de 2009

PROFESSORES DO 1º CICLO

Recebido por e-mail. Voz a todos, especialmente quando vem com pedido de divulgação.

Neste pequeno texto quero expressar a minha indignação face à inércia dos sindicatos ao defenderem os direitos dos professores do 1º ciclo.

Os sindicatos fazem comunicações generalistas e esquecem-se de "pormenores" que distinguem e MUUUUUIIITO os professores.

Os professores não estão a ser tratados da mesma forma, e não estou a falar da divisão da carreira!!!

Os professores do 1º ciclo têm horários e obrigações diferentes dos outros. Não precisam de completar horários com projectos do Agrupamento, pois o seu horário já é completo (25h lectivas + 90m de apoio ao estudo).

Ora pensem comigo:

1. Com o novo estatuto têm de trabalhar até aos 65 anos, 5 horas por dia, todos os dias, pois não têm direito a dia de folga, nem a redução do horário lectivo (por idade, por tempo de serviço, como nos outros ciclos);

2. São directores de turma e não têm direito a ter tempo para dedicar a essa tarefa. A qualquer hora e momento os EE contactam com o professor para esclarecer situações;

3. Supervisionam as AEC, fazem reuniões com os professores das AEC e não é considerado conselho de turma, (pois há o Conselho de Docentes);

4. Tudo o que o aluno aprende em termos académicos é da sua responsabilidade e não do Conselho de turma, por isso quando há insucesso o "culpado" é só um (o professor, este professor!), não há outros que venham corroborar a evidência; se o aluno é mal comportado, preguiçoso, ... é só uma voz a levantar-se, não há a "força" de 10 ou 15...

5. SOZINHO, diariamente, o professor do 1º ciclo, pensa, planifica, organiza, decide, ... e reflecte (ou melhor devia reflectir,mas não há tempo)

6. O tempo que devia ter para trabalho individual é preciso (???!!!!) para:

· reuniões com os professores das AEC;

· reuniões conselho de docentes (em alguns agrupamentos faz-se uma por mês de 2 horas, noutros fazem-se três de 3 ou 4 horas cada uma!!!);

· planificação e para preparação (em grupos de anos de escolaridade) de fichas diagnósticas, formativas, sumativas, de recuperação, e respectivos critérios, matrizes ...;

· participar em vários conselhos criados pelos agrupamentos (ACND, AEC, PES, projectos de autonomia da escola, projectos de avaliação da escola, projectos de ..., projectos de ...)

· solicitar, à psicóloga, o acompanhamento de alguns alunos e reunir com ela;

· vigiar as faltas dos alunos e elaborar as fichas de recuperação (que não servem de nada, a não ser para justificar, em muitos casos as faltas dos alunos e a falta de empenho - uma obrigação dos pais!!!);

· organizar o PCT;

· fazer o atendimento aos EE (que, no 1º ciclo, alguns EE solicitam amiúde - quando estão atentos ou são responsáveis, claro!)

· preencher documentos para pedir o "Magalhães" de cada aluno;

· preencher documentos de matrícula e pedido de subsídio de cada aluno( mesmo que a secretaria da escola fique ao lado da sala do professor);

· participar em "mil e um" projectos propostos pelos vários departamentos do agrupamento, ...

· preencher inquéritos para avaliar cada actividade (realizada por iniciativa própria ou por convite) e fazer o tratamento estatístico;( no mínimo 15 por ano);

· ...

Todos sabemos as horas demoramos diariamante a: preparar aulas e corrigir trabalhos, a pensar em estratégias e a reflectir sobre a prática diária (é verdade, ao fim do dia é necessário reflectir para perspectivar, corrigir ou melhorar situações propiciadoras de aprendizagem).

Ninguém ouse pensar que é fácil ensinar a ler e a escrever um menino do 1º ano. Está muito enganado quem pensa que é fácil. E que os professores do 1º ciclo são preguiçosos, pois o que eles ensinam é o mais fácil...

O professor do 1º ciclo é um MESTRE da Pedagogia e da Psicologia. Foi sempre professor, aprendeu para ser professor (não foi para professor!!!)

Durante muitos anos um dos únicos cursos em que era OBRIGATÓRIO ter a vertente pedagógica (teoria e prática), era o do 1º ciclo. Havia muitas pessoas que estavam a trabalhar em escolas, eram profissionais no ensino, mas não estavam habilitadas para leccionar e, por isso, não eram professores. Só depois de começarem a leccionar é que pediram o estágio.

Concluindo:

Com este estatuto, o professor do 1º ciclo não terá os mesmos direitos que os outros professores.

Este estado de coisas tem de mudar. Colegas, unamo-nos por uma causa nossa. Não se trata de estarmos contra os outros, só queremos que nos tratem de igual modo, tal como prevê a Constituição da República. Perdemos o direito a ser reduzido o ñº de anos de trabalho em relação a outros porque trabalhamos mais horas lectivas (estão dão trabalhos antes e depois, isto é as horas de estabelecimento não se reflectem em outros trabalhos inerentes, está feito, está feito. O trabalho lectivo implica preparar, corrigir, pensar, ...)

Se começarmos a "dessindicalizar" e a dizer as razões, hão-de pensar em nós.

ESTÁ NA HORA DE AGIRMOS. OS SINDICATOS NÃO PODEM CONTINUAR A IGNORAR-NOS.

3 comentários:

Anónimo disse...

Concordo com o colega. Eu não sou do 1º ciclo mas sou educadora de infância. Sinto a mesma revolta por tudo aquilo que nos estão a fazer, aliás já escrevi em alguns blogs e nunca ninguém reagiu ao meu descontentamento.
Enquanto os professores dos outros ciclos e do secundário ainda têm redução de horário, os que têm uma determinada idade, nós continuamos com a mesma carga horária lectiva como os mais jovens. Não temos um horário lectivo em que podemos dizer que um dia na semana não temos horas lectivas.
Trabalho há 28 anos e nunca tive reduçao de horário porque segundo a lei, seria compensada,indo aos 55 anos para a aposentação. O nosso PM fez o favor de aumentar 10 anos a nossa actividade profissional.
Será que isto é legal?
Queria acrescentar que também temos todo o trabalho pedagógico e burocrático para fazer, como se fossemos administrativos, e as nossas interrupções lectivas são ainda mais reduzidas que as do 1º ciclo.
Estou solidária na luta...

Anónimo disse...

Exceptuando o registo do "magalhães" e a supervisão das AEC, que na educação pré-escolar são substituídas pela Actividades de Animação e Apoio à Família,todas as outras funções competem também aos educadores de infância.
Sou educadora há 29 anos tenho 50 anos e vou ter de trabalhar até aos 65 anos, não sei é em que condições físicas e mentais...

Joaquim Ferreira disse...

Olá. Uma vez mais afirmo categoricamente Não Calarei A Minha Voz... Até Que O Teclado Se Rompa !. Por isso, queria deixar aqui o meu grito de revolta pelo apelo à desunião que é manifestado neste post. Compreendo que alguém se sinta revoltado. Mas não é destruindo nem atacando indiferentemente quem nos defende que conseguimos unir a classe. Apelo à contenção e ao bom senso. Os sindicatos 8e não sou sindicalista!) são feitos de professores e professoras como nós. Há falta de elementos válidos e se algum se crê capaz de fazer vergar o governo, que se inscreva num sindicato, que se candidate a dirigente (não falta onde fazer essa inscrição!) e que venha fazer "O Milagre das Rosas". Os professores, incluindo os que nos representam nos sindicatos, seguramente que agradecem. Assim, quero dizer aos leitores que que, sendo eu profissionalizado para o 1º Ciclo não posso de manifestar o meu acordo quanto ao final deste Post: "Se começarmos a "dessindicalizar" e a dizer as razões, hão-de pensar em nós." Sem dúvida que há neste desabafo muito de verdade. Porém, a tónica colocada na culpabilização dos sindicatos assemelha-se à postura absurda da pior Ministra da Educação de que tenho memória: Maria de Lurdes Rodrigues (MLR). Com efeito, MLR criou um sistema de avaliação absurdo que responsabilizava os professores (penalizando na avaliação!) pelo absentismo e abandono escolar (deixando impunes os pais que negligentemente se demitiram da educação dos filhos e os empresários que os admitem nas fileiras das suas empresas), pelos resultados escolares dos alunos cujos pais não investem um cêntimo em livros mas compram MP4, Wi-ii's, Playstations..., pelo desinteresse dos alunos (plasmados nas taxas de aproveitamento escolar!) que preferem ir para a Discoteca em vez de ir para a Biblioteca... Famílias que não têm dicionários em casa mas que compram "playstations" e permitem que os filhos ficar até às 4 horas da madrugada conectados com os seus antípodas em lutas tipo "Tomb Raider". Por isso, há que ter bom-senso. Deixemos que esta incrível injustiça (de buscar bodes expiatórios) seja apenas apanágio de MLR. Assim, querer penalizar os sindicatos quando é o Governo que decide, que tem a faca e o queijo na mão (porque, ainda que muito nos custe, os sindicatos não fazem as leis e, na hora da luta, primeiro que tudo há que lutar por objectivos mais altos que afectam a todos... Teremos de dar tempo (talvez ao país e à economia nacional!) para que a sociedade volte a colocar os professores no lugar que merecem devolvendo-lhes a dignidade que MLR lhes "roubou". Sem dúvida que os anteriormente denominados "professores do ensino primário" foram os primeiros a ser realmente professores. Eles foram durante muitíssimos anos os únicos profissionalizados em Educação. Devido à situação de monodocência, e mantendo-se o quadro actual da organização das actividades lectivas e curriculares no 1º ciclo será impossível reduzir o horário dos professores do 1º ciclo. E o Governo que nós portugueses elegemos - e não os sindicatos - impôs que todos os cidadãos se reformassem aos 65 anos. Esta é a realidade. Ponto final! Logo. Há que exigir a redução. Nem que para tal se tenha de copiar o que já é prática em Espanha (na Galiza, uma das autonomias mais pobres do país vizinho!) em que a organização horária nas escolas permite a redução do horário lectivo de 25 para 22 horas, prevendo-se ainda mais reduções para todos os docentes com turma! Que os nossos governantes investiguem. E que se exija, num próximo +passo, que os sindicatos dêem um passo neste sentido: exigir a igualdade na redução. Há que reorganizar a Escola para o Sucesso. E, as práticas no país vizinho provaram já que a monodocência não é uma fatalidade no 1º ciclo. Pensem nisso. Não Calarei A Minha Voz... Até Que O Teclado Se Rompa !

Desde 01-01-2009


Este blog vale $140.000.00
Quanto vale o seu blog?

eXTReMe Tracker

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa
Twingly BlogRank
PageRank
Directory of Education Blogs

RSSMicro FeedRank Results
Add to Technorati Favorites
Locations of visitors to this page