domingo, 20 de setembro de 2009

O QUE FALTA A SÓCRATES

Editorial&opinião

Daniel Oliveira

a primeira vez que um primeiro-ministro em exercício corre o risco de não ser reeleito. Podem os socialistas encontrar todas as desculpas: as resistências das corporações, a crise económica, a má vontade da comunicação social. Nada disso seria novo. A verdade é que, sendo um hábil tribuno, falta a José Sócrates o que faz a diferença num líder: a predestinação política, a ponderação táctica e a sensibilidade humana. Sócrates nunca teve um rumo porque nunca teve convicções políticas. Sem elas, mesmo que difusas, a obstinação transforma-se em teimosia. Parafraseando Lenine: não tem firmeza na estratégia nem flexibilidade na táctica. Fora uma vaga ideia de ‘modernidade’, nunca soube realmente o que queria. As suas guerras (com os professores ou os jornalísticas) foram sempre reactivas. Sem objectivos claros, não tinha como as ganhar.

Como em Sócrates o desnorte ideológico se alia a um temperamento irascível, quase todos os seus gestos políticos resultam de impulsos. Faltam-lhe os elementos estruturais que dão coerência à actividade de um governante: bases ideológicas, cultura política e firmeza ética. E falta-lhe também estrutura emocional: o que nele é espontâneo prejudica-o, o que nele é artificial denuncia-o.

Por fim, falta a Sócrates o dom de avaliar os seus ‘soldados’. Para lidar com o barril de pólvora que é a educação escolheu uma ministra conflituosa. Para a pasta da saúde, a que mais envolve todas as ansiedades humanas, um homem arrogante. Para travar o combate eleitoral das europeias, que determinaria como o PS resistiria à pressão da esquerda, um dissidente com zero de empatia. Para ser um político não basta estar satisfeito consigo próprio. É preciso conhecer bem as fragilidades e qualidades dos outros.

Dirão que estão aqui apenas avaliações pessoais. Mas são elas, muito mais do que todas as teorias da cabala, que explicam porque não conseguiu José Sócrates levar até ao fim nenhuma das suas autoproclamadas reformas; porque ficou, mesmo com uma maioria absoluta, encalhado; porque é detestado à esquerda e à direita. Sócrates pode ter sido, por força do seu poder, senhor absoluto do Partido Socialista. Mas nunca foi um líder. E sem líderes não há vitórias. E sem vitórias não há políticas.


Expresso, 19 de Setembro de 2009.

4 comentários:

Anónimo disse...

Queria aproveitar para deixar u mrecado
Vocês andam ai todos lixados, por não progredirem e não subirem de escalão automaticamente na carreira, se vocês forem trabalhar no privado, apenas sobem os primeiros anos (aprendiz, ajudante e especializado), passado isso nunca mais sobem, a não ser que tenham valor, e seja necessário um novo chefe ou director, porque tem os professores que progredir automaticamente na carreira sem ter que fazer nada, e andamos nos a pagar impostos para isto. Estejam calados e vão mas é trabalhar, ainda por cima querem todos subir da mesma forma, não querem ser distinguidos para ver quem merece mais, porque na verdade todos querem fazer menos, ou será que temos excelentes professores em Portugal e todos merecem. Vesse o ensino reflecte isso mesmo e não deitem a culpa a ninguém, os professores são vocês, quem sabe ensinar ensina de qualquer maneira, o problema é que vocês até podem saber a matéria que devem leccionar, não sabem mesmo é leccionar
Fazem mais de 30 greves por ano, tenham vergonha, vocês ate aceitavam muitas das coisas propostas, mas têm sindicatos que não sabem ser sindicatos, só querem um tacho, então a melhor maneira de não perder o tacho é fazer greves por tudo e por nada, porque sabem que vocês assim vão sentirsse felizes. O sindicato da FENPROF, já esta na lista a deputado pelo CDU para ter um tacho melhor.
Vejam lá se ganham juízo e pedem menos coisas.
Os que trabalham no privado não tem os direitos que vocês têm e trabalham.
Espero não ter ofendido ninguém.

Anónimo disse...

Eis um belo exemplo do trabalho de um professor primário e o que seria se os professores fossem avaliados pelos alunos.
Não sou professor e sempre fui um aluno com classificação média.
Agradeço, hoje, aos meus professores as reguadas e as chapadas que recebi na primária e no liceu
Cumprimentos.

Anónimo disse...

Para o anónimo das 2.49, deixo duas sugestões:
1º: Por favor, peça a um professor para lhe corrigir os erros ortográficos do seu comentário... Qualquer um o fará com todo o gosto!
2º: Leia com atenção os jornais e compreenda a respectiva matéria, antes de dar qualquer palpite ou parecer...Assim, evitará cair no ridículo!

Anónimo disse...

Ao anónimo que deixa um recado: Sou mãe, professora e vou ser avó. Li o recado que só debita infâmias (estejam calados, vão trabalhar, não sabem leccionar, tenham vergonha etc, etc,) e por fim diz que espera não ter ofendido ninguém. Eu pergunto: enquanto andou na escola cumpriu os seus deveres de aluno? Sim, porque os alunos têm deveres que a maior parte não cumpre. Em casa, os pais cumpriram os deveres de encarregados de educação? Sim, porque os pais também têm deveres. Então deixo-lhe eu um recado: Cumpram todos a sua parte e com certeza, teremos uma escola melhor. Quanto ao resto informe-se melhor sobre o que desconhece e verá que a maior parte dos que continuam no ensino gostam do que fazem e tudo o que fazem é pelos alunos.

Desde 01-01-2009


Este blog vale $140.000.00
Quanto vale o seu blog?

eXTReMe Tracker

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa
Twingly BlogRank
PageRank
Directory of Education Blogs

RSSMicro FeedRank Results
Add to Technorati Favorites
Locations of visitors to this page