sábado, 17 de outubro de 2009

COMENTÁRIO FUNÇÃO PÚBLICA

Meus amigos:

Trabalho no privado e ganho 400€ na folha de ordenado e por "baixo da mesa" recebo da Empresa onde trabalho mais 1200€ em papel moeda.
Tenho direito a automóvel da Empresa de alta cilindrada e envelopes mensais recheados com 300 € para gasóleo.

Tenho ainda direito a almoço completo no bar da Empresa com grande variedade e qualidade pagando apenas uma senha no montante de 1 € por dia.

Quando vou à Caixa de Previdência, marcar uma consulta estou isento de taxa moderadora, porque na minha folha de ordenado apenas aparecem os 400€.
Esta é a realidade de milhares de trabalhadores portugueses!.

A minha esposa que tirou um curso superior, trabalha na função pública com horário oficial das 09 às 17h. Nunca consegue sair antes as 19:30 horas , sem ganhar um cêntimo que seja, dado que do quadro de 6 funcionários 3 foram aposentados e não foi colocado mais nenhum!.
Ganha 800 €uros, já com subsídio de refeição incluído, desconta mensalmente 150€ de I.R.S; 50€ para a Caixa Geral de Aposentações, 25 € para a ADSE , 10€ para uma verba que se destina ao pagamento futuro do funeral (comum a todos os funcionários públicos), e outros mais descontos que não me lembro.

Feitos os descontos fica com 565€ “limpos”, dos quais ainda retira 58 € mensais para o passe e gasta cerca de 5€ diários para almoçar de pé ao balcão de um café .

Trabalha num Edifício público degradado, a manusear pastas de documentos cheias de pó onde circulam baratas ratos e outras pragas, e com computadores e sistemas informáticos do século passado, sempre a encravar. Atende dezenas de cidadãos por dia portadores das mais diversas doenças infecto – contagiosas e tem a seu cargo assuntos de muita responsabilidade.

Há dois anos que o Sócrates lhe congelou o ordenado e não preenche o quadro de pessoal, no entanto, os inspectores do serviço, aparecem a cada passo em cena, de forma prepotente a dizer que o trabalho devia estar mais em dia !.

Quando a minha esposa vai à Caixa de Previdência marcar uma consulta paga taxa moderadora .
Se for a um médico da ADSE de descontos obrigatórios, paga a totalidade da consulta , e largos meses depois, recebe uma pequena percentagem do que pagou.
Todos os dias no serviço “ouve bocas” dos utentes contra a função pública, que imaginam ser um “mar de rosas”.

E vocês neste cenário socratista, gostariam de ser funcionários públicos?. Eles é que são os parvos que pagam os impostos na totalidade e sustentam o país!.

É claro que eu com o que ganho por fora, comprei um seguro de saúde a uma Companhia de Seguros, e vou aos médicos que quero!.
Sou um “coitadinho” do privado que só ganho oficialmente 400€, tinha direito a isenção de taxa moderadora, mas mesmo assim não estava para esperar 6 anos por uma consulta, que com a saúde não se brinca! .

Quando a minha esposa chega a casa vem exausta de um trabalho, que se fosse num privado, aparecia o IDICT e a ASAE e encerravam de imediato a porta por falta de condições!.

Quando o Sócrates ataca a função pública, é apenas música para analfabetos que apenas possuem orelhas!.


Fonte Destak (comentários)

8 comentários:

Anónimo disse...

Deviamos de mandar a função pública à merd. e o socrates mais os seus coyotes que fossem para lá. É como na escola que se recebe uma miséria que nem o trabalho paga quanto mais as ofensas diárias dos fedelhos que "não têm pais"!

Luis Arouca disse...

Não concordo. A realidade de milhares de portugueses é ganhar 400 e poucos euros por mes no privado (fabricas, supermercados, restaurantes, lojas, etc). Sem mais nada por baixo da mesa. Na função publica sempre ganham mais um pouco trabalhando MUITO menos, disso não se podem queixar!

Anónimo disse...

Esta é a politiquice podre que temos. Tão podre que quer fazer de nós mais parvos do que temos vindo a ser.
Empresas a pagar 400€ de vencimento e o resto por "baixo da mesa". Está-se mesmo a ver. Deve ser dinheiro falso fabricado na empresa. Só pode ser empresa sem contabilidade a trabalhar em vão de escada. E mesmo que fosse verdade era um excelente exemplo deste maravilhoso país que todos vamos ajudando a construir. Até nos vamos vangloriando de esquemas do género.

Vamos lá; um exemplo concreto é o mínimo que se pede ao corajoso autor deste panfleto de baixa política. Um único exemplo. Haja coragem.
Quanto ao funcionalismo público, ok. Somos todos nós que o pagamos; sejamos bondosos e mãos largas. No mínimo dobremos os salários de todo o funcionalismo público. Qual é o problema? Tudo o que acontecer de desastre ou drama será sempre culpa do Sócrates. Assim sendo... bora lá.
Não me façam de mais parvo do que aquilo que me deixo ser, certo?

FN

Anónimo disse...

Talvez seja tempo do signatário de tal comentário remendar a situação e regularizá-la.
Com efeito, a empresa onde trabalha paga menos segurança social e o veículo é amortizado. O montante dado para gasóleo também entra para custos. Ou seja, a empresa consegue baixas retribuições e altos custos. Naturalmente que muito dos serviços que presta também não serão facturados.
Resulta então: o signatário terá uma reforma miserável (se é que alguém a receberá), não poderá, por exemplo, pedir empréstimo para a casa devido ao baixo IRS. Naturalmente se for despedido, certamente saberá o quanto irá ganhar de subsídio de desemprego, calculado com base no recibo de vencimento.
Também resulta menos impostos a entrarem para o cofre do estado. Consequentemente, aumentam os impostos, congelam salários e entradas na função pública.
Inadvertidamente, o signatário de tal comentário está a fomentar a situação da esposa.
Como alguém diria,"e esta hein?"

Anónimo disse...

Em todas as profissões existem profissionais sérios, trabalhadores e competentes, e simultaneamente trabalhadores preguiçosos e incompetentes (se todos olharem à sua volta identificam no seu próprio local de trabalho exemplos destes últimos…): os funcionários públicos não são excepção a esta regra, sendo inquestionável que estão cada vez mais mal pagos, o que, naturalmente, afastará os melhores.

O Sr. que escreveu o e-mail dizendo que recebe a parte substancial do seu ordenado por debaixo da mesa (confessando um crime de fraude fiscal) pactua com a pobreza (de espírito) classe empresarial que grassa pelo nosso país e contribui para que não sejam cobrados impostos de forma eficaz obrigando a que estes aumentem sempre mais (sabe se lá até quando…).

E esse Sr. também não se deve esquecer de ir fazer um PPR, porque, se tiver sorte, vai ter do Estado uma reforma correspondente a 80% dos € 400,00 que lhe são legalmente pagos, sendo que o seguro de saúde só lhe vai assegurar a saúde até aos 65 anos, depois vai ficar a conhecer mais de perto o nosso magnifico sistema nacional de saúde (para cuja ineficiência contribuiu não contribuindo…) e esperar pelas consultas o tempo que for preciso!

Haja pachorra para aturar o povo português!

AC

Anónimo disse...

Essa história é do mais efabulado que já se viu!
Mais que ignorância é uma tentativa de distorção dos factos, que qualquer pessoa que se dê ao trabalho de pensar e estudar um pouco a realidade nacional, facilmente verifica a sua falsidade.

Pouco do que lá está corresponde à realidade. Quer do lado do sector privado, quer do lado do sector público.

Quantas pessoas conhecem que trabalham no privado e recebem 2/3, ou mais, do vencimento em numerário por fora???
Eu conheço zero casos destes, e provavelmente tu também...
Não quer dizer que não existam casos em que uma parte da remuneração é dada fora do vencimento, nomeadamente através dos designados prémios por objectivos, e que tem um tratamento fiscal mais vantajoso para a empresa e para os funcionários. Mas nunca numa proporção sequer próxima da indicada nessa mensagem sindical.
Isso dos prémios é praticado quer no sector privado quer no sector público (IAPMEI, Hospitais, etc).

Gostei do pormenor do almoço por 1€ no refeitório da empresa... já almocei em refeitórios de empresas por 4, 5€ por 1 nunca tive a sorte.
Por exemplo em Coimbra, há um refeitório onde se paga, salvo erro, 2.5€ por refeição, é o da Segurança Social mas é para funcionários do Estado... Estes exemplos repetem-se por esse país fora, onde muitas camâras tem refeitórios para trabalhadores autárquicos e afins.

A mensagem tem o descaramento de indicar, como fosse um fardo acrescido, o facto de na função pública se trabalhar das 9 às 17h!! Tal como a suposta esposa tem q sair muitas vezes mais tarde do trabalho o mesmo acontece com as outras pessoas que trabalham no sector privado, naturalmente.
Como já em tempos disse, é escandaloso o facto da casta superior (função pública) trabalhar menos que a que a restante população portuguesa (35h semanais no público vs 40h semanais no privado).
Fazendo umas contas por alto (público vs privado):
Por semana --> -5h
Por mês (4*semana) --> -20h
Por ano (mês*11) --> -220h

Essas 220h, correspondem a 27.5 dias (1 dia de trabalho = 8h) a menos que os funcionários públicos trabalham em comparação com os privados.
Ou seja, por ano, os funcionário públicos trabalham menos 1 mês e uns dias do que os outros (podíamos ainda acrescentar algumas pontes que SÓ existem na função pública).
Se extrapolarmos para uma carreira contributiva de 35 anos, verificamos que os funcionários públicos trabalham menos cerca de 3.5 anos que os outros para a reforma!

Coisa pouca não é....?!?!?


Há outros pormenores deliciosos na missiva, como aquele de se queixar do desconto para a ADSE, que, para quem não saiba, é um sub sistema de saúde a que podem ter acesso apenas os funcionários públicos. Os restantes têm que ir ao Serviço Nacional de Saúde...
Não obstante terem o privilégio de um sub sistema de saúde próprio, existe um ponto ainda mais irónico. Como os descontos feitos pelos funcionários públicos para ADSE apenas cobrem 40% dos seus custos, o restante dinheiro vem da restante população, que não pode aceder ADSE. Ou seja, os não funcionários públicos subsidiam um sistema que lhes está vedado!!

Embora o principal de tudo isto, e que se deve ter presente quando se discute sector público versus o privado, é que os funcionários públicos ganham, em média, bastante acima do sector privado.
Volto a colocar o último estudo do Banco de Portugal sobre o assunto.

http://economico.sapo.pt/noticias/salarios-da-funcao-publica-estao-claramente-acima-dos-privados_65233.html

Anónimo disse...

Porque é que senhor não troca com a sua esposa?

Anónimo disse...

coneço muita gente no privado que foge ao fisco....alias foge e recebe RSI,ABONO NO 1 ESCALAO, TEM DIREITO A CASA, EDUCAÇAO GRATIS,SAUDE GRATIS, eu desconto, estou no 3 escalao de abono tenho 3 filhos pago saude, educaçao, creche, tive de comprar casa e tenho um charuto, nao tenho nenhum mercedes nem nenhuma carrinha para ir vender para a feira dando como exemplo.E olhem que trabalho e faço turnos na funçao publica.

Desde 01-01-2009


Este blog vale $140.000.00
Quanto vale o seu blog?

eXTReMe Tracker

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa
Twingly BlogRank
PageRank
Directory of Education Blogs

RSSMicro FeedRank Results
Add to Technorati Favorites
Locations of visitors to this page