terça-feira, 3 de agosto de 2010

NESTA ESCOLA JÁ NÃO EXISTEM "CHUMBOS"

Escola da Ponte pode servir de inspiração para a futura intenção de terminar com as reprovações. Mas ainda há um longo caminho a percorrer

Todos conseguem aprender, no ensinar é que está o problema. Este é um dos lemas da Escola da Ponte, na Vila das Aves, uma instituição pública que já há muitos anos adoptou a ideia lançada pela ministra Isabel Alçada de acabar com os «chumbos» na escolaridade obrigatória.

Há toda uma filosofia à parte das imposições ministeriais. Não há anos, há níveis de aprendizagem (iniciação, consolidação e aprofundamento). Todos os professores dão aulas a todos os alunos (cerca de 200 todos os anos, desde o equivalente ao 1º até ao 9º ano). E são os estudantes que auto-planificam o seu estudo e que se auto-avaliam. Garantem que o currículo escolar é cumprido e que os conhecimentos são adquiridos tal como noutro sítio qualquer.

No regulamento interno nem sequer constam as palavras «reprovação» ou «retenção». Nunca um aluno ficou para trás pelos seus conhecimentos, salvo em casos excepcionais de faltas. «Acreditamos que esta é a melhor forma de garantir o sucesso dos alunos. Sendo esta uma escola do ensino obrigatório, não faz sentido o Estado produzir um mecanismo de retenção», afirmou ao tvi24.pt Cristiano Silva, elemento do conselho de gestão da escola (porque aqui ninguém fala em directores).

O truque está na «individualização da aprendizagem» e na «diferenciação positiva» dos alunos. Por exemplo, quando estudam a multiplicação, «cada um aprende de maneira própria, com estratégias e caminhos diferentes». «Só os objectivos é que são iguais», explicou, porque o currículo tem de ser o mesmo para todos.

Ao colocarem o ensino na mão do aluno e não do professor, sabem que a sua noção «mexe com os dogmas» dos professores que «se refugiam no que é mais confortável e fácil».

Sabia que Cavaco Silva chumbou na escola?

Quanto aos resultados, Cristiano Silva frisou que, tal como acontece com todas as escolas, há alunos que posteriormente fazem um «trajecto óptimo», outros «normal» e ainda outros «menos bom». «É normal que estranhem ao início quando entram noutra escola porque o ensino passa a estar centrado no professor. Mas a cultura escolar varia de aula para aula e quem não estranha o início de uma nova escola?», questionou.

O elemento do conselho de gestão da Escola da Ponte sabe que «há um longo caminho a percorrer» até que todas as escolas públicas do país adoptem, pelo menos, o fim dos «chumbos». «Mas é perfeitamente possível. Acho mesmo que será o impulso necessário para o sistema acordar», acrescentou.

Para Cristiano Silva, o fim das reprovações poderá ser «o primeiro passo» para o repensar da cultura escolar, de todo o sistema de avaliação e do currículo escolar.

In diario.iol.pt.

Sem comentários:

Desde 01-01-2009


Este blog vale $140.000.00
Quanto vale o seu blog?

eXTReMe Tracker

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa
Twingly BlogRank
PageRank
Directory of Education Blogs

RSSMicro FeedRank Results
Add to Technorati Favorites
Locations of visitors to this page