terça-feira, 26 de novembro de 2013

DEPUTADOS: SUBSÍDIOS DE FÉRIAS E DE NATAL TÊM AUMENTO DE 91,8%

Se, face a estes factos, os portugueses não se revoltarem em definitivo, há razão para dizer que somos um povo fraco, de fraca gente e tão pobre de espírito, que nada mais nos restará como nação.

Vejamos:

Aprovado já em Outubro passado, o orçamento para o funcionamento da Assembleia da República revela algumas surpresas capazes de deixar qualquer cidadão de boca aberta e levá-lo a acções de luta bem duras e necessárias. É que, nestes tempos de aperto até à exaustão, as despesas e os vencimentos previstos com os deputados e demais pessoal aumentam em 2014.

Não se trata apenas de um mau exemplo de despesismo público e de desperdício da Assembleia da República, em contexto de crise e austeridade. Trata-se de uma ignomínia, que tem de ser combatida por todos e com todas as forças, até porque
aumento brutal não tem qualquer explicação que o justifique.

Se compararmos o orçamento dos anos de 2013 e 2014, verifica-se que, para 2014, ele prevê um aumento global de 4,99% nos vencimentos dos deputados, passando estes de 9.803.084 € para 10.293.000,00 €.

E se este aumento de praticamente 5% é uma autêntica infâmia, a verba relativa aos subsídios de férias de natal dos deputados é uma autêntica declaração de guerra aos portugueses. É deveras terrorista o facto de, relativamente ao orçamento para o ano de 2013, ele contemplar um aumento de 91,8%, passando de 1.017.270,00 € (em 2013) para 1.951.376,00 € (em 2014), ou seja, o ano de 2014 prevê mais 934.106,00 €. 

Infelizmente, as despesas com remunerações certas e permanentes com a totalidade do pessoal da Assembleia da República (deputados, assistentes, secretárias e assessores, que aumentam 5,4%, bem como outros valores astronómicos atribuídos aos partidos e em mordomias, são ingredientes a mais para deixar qualquer cidadão insensível e comodamente sentado em casa.
  
Para quem quiser confirmar, basta consultar e comparar o D.R., 1.ª Série, n.º 222, de 16/11/2012 (relativo ao orçamento de 2013) com o D.R., 1.ª Série, n.º 226, de 21/11/2013 (onde está o orçamento de 2014). Consultem a rubrica "despesas correntes", que se encontra na segunda página dos documentos destes links.

Indigna-te! Há sempre um tempo de dizer BASTA! E este é o tempo!

 

10 comentários:

João Galamba disse...

Ilídio,

Os deputados têm exactamente os mesmos cortes que os funcionários públicos (ao que acresce, so para titulares de cargos publicos, um corte extra de 5%). O subsidio aumenta 91% porque o orçamento de 2013 nao incluía a verba para o subsidio de ferias)

Em suma: nada do que você aqui diz é verdade. E é lamentável que haja quem se compraz a contribuir para a desinformação e a espalhar mentiras nas redes sociais

André disse...

"Caros amigos, anda a correr pela internet um email dizendo que subsídios de Férias e de Natal dos deputados para 2014 aumentam 91,8%! Aqui fica a explicação, para aqueles que gostam da verdade: O Orçamento da Assembleia da República contempla não só o salário dos deputados, mas também o de todos os funcionários da AR. No Orçamento de 2013 (D.R., 1.ª Série, n.º 222, de 16 de novembro de 2012) constava o subsídio de Natal e o subsídio de férias dos funcionários com salários mais baixos (aqueles a quem o subsídio não era cortado ou era cortado apenas parcialmente), ou seja, 1.017.270 euros. O TC declarou inconstitucional o corte do subsídio de férias pelo que ele está a ser pago (em novembro de 2013). Obviamente, que o Orçamento publicado em novembro do ano passado não podia incluir este subsídio, pois na altura pensava-se que ele não seria pago. O Orçamento de 2014 (D.R., 1.ª Série, n.º 226, de 21 de novembro de 2013) já contempla os dois subsídios, de férias e de Natal (1.951.376 euros). Assim, a verba para 2014 é aproximadamente o dobro da verba para 2013, os tais 91,8% de acréscimo de que fala a "notícia". Se se verificar o Orçamento Suplementar da AR para 2013(D.R., 1.ª série, n.º 143, 26 de julho de 2013) poderá ver-se que a dotação corrigida (para incluir o subsídio de férias) é de 1.931.270 euros, ou seja, de 2013 para 2014 a verba para os subsídios aumentou 0.01%. Penso que a coisa fica esclarecida..."

LTMA disse...

É uma vergonha, um insulto a toda uma nação, o ordenado astronómico e imerecido de uns quantos oportunistas, que se propuseram a representar todo um povo, mas que não representam nada nem ninguém, a não ser um pequeno grupo de interesses económicos. E a vergonha ainda é maior quando estes políticos(inhos), da esquerda à direita sem excepção, veem para a praça pública choramingar o seu chorudo ordenado, tentando atirar areia aos olhos de um povo que é pacifico mas não é cego...

Cidália Luís disse...

Sr. João Galamba,

Também não é bem assim! Depende de qual a versão do orçamento que foi comparada. Como bem sabe, o TC acabou por declarar inconstitucional esta medida e os subsídios estarão agora a ser pagos, como tal, no orçamento rectificativo de 2013 essa verba tem que constar.

Cidália Luís disse...

Sr. João Galamba,

Também não é bem assim!
Como bem sabe, o TC considerou essa medida inconstitucional e os subsídios ou já foram pagos, ou estarão agora a sê-lo. Como tal, essa verba tem que estar prevista no Orçamento Rectificativo de 2013, assim sendo, depende da versão do OE que serviu de base à argumentação do Sr. Ilídio.

Pavlovsky disse...

É uma vergonha a forma como alguns pseudo-ativistas usam a mentira, a desinformação e a aldrabice para tentar manipular a opinião pública. Quem coloca um texto destes a circular pela net sem se importar com os factos mostra uma completa incompetência seja para dar aulas, seja para outra coisa qualquer relacionada com a docência. Para alguém assim, fazer uma provazita com perguntas básicas é muito pouco. No dia em que o Estado português rejeitar/despedir (NA HORA) indivíduos destes e com estas intenções, o Estado, a escola e o país serão melhores. Tenha vergonha.

Gustavo H. Barreto de Almeida disse...

Querem o quê?
Que saia à rua sozinho a queixar-me disto. Até posso, mas não faz diferença.
Será que tenho que ser mais efusivo ou até violento? Vou logo preso e vocês ficam-se a rir em casa.
Há algo que falta em Portugal: as forças da autoridade e militares a liderar o processo, para ninguém recear ser apunhalado pelas costas...

Pavlovsky disse...

Continuam a comentar sem perceber que o post não é verdade. Depois não querem que os mandem fazer provas. É uma tristeza.

Anónimo disse...

Os deputados da Assembleia da República é que deviam fazer provas antes de tomar posse. Infelizmente estamos a ser continuamente governados por gente muito ignorante. A maior parte deles só lá está para meter ao bolso o dinheiro de todos os contribuintes e fazer concluios com as grandes empresas.
Roubam descaradamente o povo: Sr Galamba, podem ter os mesmos cortes que os funcionários públicos, mas são aumentados com boas percentagens, enquanto que o povo apenas tem descontos... e espremem até à última uns míseros ordenados de 600 euros!
Os políticos portugueses são uma vergonha! Nem sei como conseguem sair à rua e olhar o povo nos olhos. É mesmo falta de dignidade.

Anónimo disse...

Vergonha mesmo é esconder a identidade por detrás de um pseudónimo. O senhor ou senhora Pavlovsky é que deveria fazer uma prova antes de escrever dislates, pois o que vejo publicado tem o seu respetivo contraditório nos comentários, incluindo os seus, que me parecem de alguém ressabiado com os professores e com a vida. Volte para o seu nível, pois não passa do básico.

Não sou anónimo, chamo-me Carlos Lopes, e já não sou professor. Passe bem.

Desde 01-01-2009


Este blog vale $140.000.00
Quanto vale o seu blog?

eXTReMe Tracker

Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa
Twingly BlogRank
PageRank
Directory of Education Blogs

RSSMicro FeedRank Results
Add to Technorati Favorites
Locations of visitors to this page